02/06/2016

愛 Quando a cultura asiática se tornou tão importante na minha vida 사랑


Já aviso que esse post é gigantesco, então se você tem preguiça de ler ou está sem tempo agora, é melhor voltar depois. (⁄ ⁄•⁄ω⁄•⁄ ⁄)

Eu tenho uma memória horrível. Mas quando digo isso, quero dizer horrível mesmo, sou daquelas que a pessoa acaba de falar uma coisa e se me perguntar daqui a cinco minutos sobre o que tal pessoa estava falando eu respondo: " Ah, nossa! Esqueci". Grande parte desse "esquecimento", tem um simples e lindo motivos: Eu penso em 1001 coisas por minuto e meu cérebro tem uma playlist que fica tocando 24 horas por dia. Então eu me disperso muito fácil de tudo que estou fazendo (por exemplo, nesse exato momento eu estou passando a coreografia de The Baddest Female da CL na cabeça e ta me dando uma vontade louca de dançar). Apesar disso, eu tenho meus momentos de concentração e foco, e esse post é para falar sobre um assunto que já estava rondando minha mente a um tempo.
(Só um adendo aqui pra avisar pra vocês que eu não ouço sertanejo, pagode, funk, ou coisas do tipo e derivados. Música brasileira pra mim passa bem longe desses estilos.)
" Quando a cultura asiática se tornou tão presente e tão importante na minha vida?". Essa foi a pergunta que eu estou/pretendo responder.

Olhando meu quarto, a primeira coisa que você se depara são meus desenhos pendurados, entre eles tem uma anime girl que desenhei no começo do ano e (o mais bonito de todos) a máscara da San de Mononoke Hime que desenhei em fevereiro. No canto, perto da estante, tem um pôster de Naruto que meu pai achou entre os trabalhos dos alunos dele. Até ai nada demais, só algumas inspirações e refações. Agora olhando minha estante, tem meus livros (avá?), meu cds, meus cadernos/"diários", e uma prateleira só de mangás e minha coleção do Naruto e mais alguns animes. 
Okay, deixando isso de lado, analisando meus cadernos de maneira geral (tantos os da faculdade quanto os meus pessoais), TODOS têm alguma imagem de anime colada, ou alguma coisa escrita em japonês ou coreano. Na lista de coisas que eu quero/tenho que assistir, tem umas quatro páginas só de animes, mais uma de doramas e dramas. Na lista de leitura, deve ter uns trinta mangás para ler online, sem contar os que eu já li, comprei/estou comprando. Abro meu Youtube, entro lá na aba de "assistir mais tarde" (que é uma benção para quem é viciado em assistir vídeos), tem exatamente 90 vídeos (SIM VOCÊ LEU CERTO) de kpop, sendo eles MVS, dance practice, lives e vídeos pra dar risada. Pra terminar a "análise”, no quadro de "tarefas" que tem na minha cozinha está escrito: 사랑 (amor), a Blue está de prova que ohayou já está incorporado ao meu vocabulário e que eu estou tentando vicia-la em kpop.
Bom, tentando responder à pergunta: "Não faço a mínima ideia.". 
Sei que cresci assistindo anime, Naruto, Pokemon, Hamtaro, Digimon, sou fã de Yu-Gi-Oh! á mais tempo que sou fã de Harry Potter, e olha que comecei bem cedo (falou a dinossaura) e que assisti Howl no Ugoku Shiro (O castelo animado) do Hayao Miyazak na escola, mas eu nunca fui de procurar as coisas e na época (2003 mais ou menos, eu tinha seis anos) internet pra mim é algo raro e nela só existia o site da Barbie, Polly e Girls Go Games. Quando os animes deixaram a TV aberta, meu contato com a cultura japonesa quase desapareceu, foi salvo só pelas aulas de História que eu tanto amo. A partir daí eu não assisti mais animes e foi assim até pouco tempo atrás. Já a música japonesa era totalmente desconhecida, gostava das aberturas dos animes mas foi só em 2010 que tive contato com uma cantora, linda e talentosa Kanon Wakeshima, que toca violoncelo maravilhosamente bem.
Já meu contato com a cultura coreana aconteceu de maneira bem diferente. Em 2010, uma ex amiga minha me mostrou o clipe (naquela época não sabia o que era MV) de Lucifer do Shinee. Foi um choque pra mim porque eu não sabia se eu ouvia a música, se lia a tradução primeiro pra depois assistir, se reparava na coreografia maravilhosa ou se admirava os meninos. A partir dai eu fiquei super curiosa para ouvir mais desse tal kpop, mas advinha?? Eu não fui atrás, e deixei à vontade morrer. Aí em 2012, eu já sabia que a internet era muito mais que o site da Barbie, eu vi o MV de Catch Me do TVXQ! e fiquei maravilhada outra vez. Sério, eu devo ter escutado essa música umas trezentas vezes só naquele mês. Nesse mesmo ano eu conheci o grupo Girls Generation e fiquei viciada em The Boys e Mr. Taxi. Tudo lindo maravilhoso, adorando se matar pra aprender as dancinhas, parou por aí.
Ah essa coreografia <3 <3
Parando pra pensar, eu acho que não corri atrás do kpop e do jpop mais cedo porque ninguém a minha volta era desse "mundo" sabe? Amo falar sobre música, mas para isso, eu precisava ouvir o que estava "na moda", ouvia rádio direto e estava sempre ligada nos lançamentos. Tive várias fases musicais, indo dos sucessos do pop americano á rock pesado, mas essas mudanças não eram só fruto da minha curiosidade de experimentar novos estilos, pelo contrário, era a maneira que encontrei de me sentir "incluída" no ambiente escolar. Não deu muito certo, diga-se de passagem.
Quando eu entrei no colegial, estava tendo uma "crise de existência musical", eu estava sofrendo com o hiatos e o possível retorno do Thirty Seconds to Mars, tinha saído de uma decepção gigantesca com a banda Tokio Hotel, estava entediada com as séries que passavam... Em resumo, estava na merda. Por conta da mudança de escola, eu conheci pessoas novas, e uma delas gostava de animes, kpop e afins, e como eu ainda era muito influenciável, minha curiosidade voltou. E dessa vez, além de não deixar passar, meio que liguei o foda-se para o que os outros pensavam sobre o que eu ouvia e assistia.
Nhoo <3
Comecei a me aproximar da cultura japonesa primeiro; assisti alguns animes li alguns mangás, comecei a pesquisar sobre as modas do Japão, principalmente a moda Lolita e Gothic Lolita, aprendi alguns kanjis e a pronunciar algumas palavras. Comecei a ouvir algumas bandas de J-rock, como Flow e Asian Kung-fu Generation, mas o que mais me surpreendeu na música japonesa foi a intensidade das letras. Todas as músicas que já ouvi e que ouço são muito "profundas", é como se cada single fosse uma história e quem a escuta é um personagem (isso faz sentido??!!). 2014 foi um ano de muitas mudanças na minha vida e uma delas foi que (por algum motivo que eu não consigo me lembrar), resolvi voltar a assistir Naruto, e esse "retorno às origens de otaku", me fez relembrar todo meu amor e admiração pela história e por todo o universo dos animes. Só pra vocês terem uma noção, assisti o clássico e o shippudden (a guerra já tinha começado quando eu atualizei) em um ano, detalhe que assisti outros animes nesse mesmo período. Foi nessa época também que descobri e me apaixonei pelos longas metragens de animação japonesas.



O vicio em kpop aconteceu do mesmo jeito que o vicio em Naruto/animes, de uma hora para a outra, mas dessa vez eu me lembro exatamente como aconteceu. Estava na sala, assistindo a PlayTV quando começa o programa "Ponto K-Pop", e nele a apresentadora comenta de um tal grupo que tinha acabado de lançar um MV e estava fazendo o maior sucesso com o retorno aos palcos e tals. Mal sabia eu que os próximos 3:49 minutos iriam mudar completamente minha vida. Bang Bang Bang do BIGBANG se tornou uma das minhas música favoritas e eu me tornei uma V.I.P. A partir desse dia, comecei a conhecer muitos grupos e atualmente faço parte de vários fandoms (ouço mais boy groups do que girl groups). Claro que eu ainda tenho muito que aprender, não decorei os nomes de todos os integrantes dos grupos que ouço e os que eu decorei, sempre faço confusão, tenho um sério problema em pronunciar seus nomes, não sei todas as coreografias, não conheço TUDO sobre meus grupos favoritos, muito menos sobre a cultura musical coreana, mas me considero fã por admirar imensamente o trabalho e esforço deles e delas. E principalmente, porque kpop me ajudaram em vários momentos da minha vida, e tanto a música quanto os MVs servem de inspiração para quase tudo que faço atualmente.
Nunca pensei que a resposta seria tão grande (⁄ ⁄>⁄ ▽ ⁄<⁄ ⁄), mas cada palavra tem um pouco de como me sinto.
É claro que, não importa em que aspecto da cultura, á coisas boas e coisas ruins. Em ambas culturas, japonesa e coreana, a certas coisas que me deixam muito irritadas e até indignadas, coisas que me deixam muito triste e de vez em quando até decepcionada, mas são coisas normais, que acontece em qualquer meio artístico, porque nada vai ser cem por cento perfeito. Esses conflitos e divergências servem para você analisar seus ídolos e as produtoras, porque assim você irá "conhecer" quem ele é de verdade.
Queria agradecer a Priscila Cardoso pela inspiração para escrever esse post, porque comecei a refletir sobre o assunto lendo seu blog lindo maravilhoso.
É a primeira vez que escrevo um post nesse estilo, por isso quero agradecer a você, que chegou aqui, obrigada por ler tudo isso. E por favor, me avisem nos comentários se vocês gostaram <3.


3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Oi Cah, tudo bem?
    Primeiro de tudo, obrigada por ter mencionado o meu blog no seu post! Fiquei sabendo sem querer, através do redirecionamento de link.
    Adorei o seu post, porque ele é bem pessoal e detalhado - adoro posts assim! A minha aproximação com a cultura asiática foi bem parecida com a sua, com exceção de algumas coisas. Mas acho que a da maioria se parece, né? Sou apaixonada pela cultura asiática em geral, mas eu tenho uma quedinha um pouco maior pela cultura coreana/k-pop, haha. E quando a descobri, entrei de cabeça mesmo, a ponto de levar isso pro meu tcc!
    Fico feliz que você goste tanto quanto eu, e que de alguma forma eu tenha te inspirado pra escrever esse post! Não conhecia o seu blog, mas gostei bastante da proposta de criar um com a sua amiga ^.^

    Beijos e obrigada novamente <3

    --
    www.priscilacardoso.net

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. [Ainda não estou acreditando no comentário *-*]

      Quando eu postei, pensei em te enviar o link mas fiquei com vergonha, e acabei deixando pra lá, de verdade, nunca imaginei que você iria encontra-lo. Fico muito feliz que tenha gostado, significa que ainda existe pessoas que leem posts gigantes :).

      A verdade é que eu ando levando a cultura asiática para meus trabalhos de faculdade também. E o kpop me fez conhecer pessoas incríveis e me fez voltar a dançar.

      Bom, percebe que eu escrevo demais hahaha.

      Muito obrigada de verdade. Seu blog é uma grande inspiração para mim (e você também:3).

      <3 <3

      Excluir

Copyright © 2015 | Design e Código: Sanyt Design | Tema: Viagem - Blogger | Uso pessoal • voltar ao topo